É uma das personalidades mais influentes da passarela, o timoneiro da ‘Vogue Paris’ durante mais de uma década, “uma poética da esfera da moda”, nas palavras do diretor de ‘Harper’s Bazaar’. Em dezembro de 2010 Carinne Roitfeld deixou teu posto de diretora da prestigiada revista e, depois de um intervalo de dois anos, fazendo profissionalmente, sem demora, pelo pódio da publicação americana.

No momento em que em 2010 Roitfeld abandonou a edição francesa da Vogue, sua decisão foi muito criticada por aqueles que pensavam que não deveria ter abandonado um cargo de tal responsabilidade, de uma maneira tão repentina. Ela justificou a decisão alegando que queria prestar-se a seus projetos pessoais. E é verdade que estes 2 anos de parênteses deram de si a Roitfeld: foi avó, construiu sua própria revista, que foi batizado de CR, assim como este uma linha de maquiagem para a marca MAC. Também, brevemente vai lançar teu respectivo perfume e uma linha de produtos de graça perante o nome de “Forgive Me” (me perdoem). Roitfeld não é só uma todopoderosas de moda pela França.

Aos seus 58 anos é considerada como uma das mulheres mais influentes do mundo, segundo a classificação da revista ‘Time’. Filha de um produtor de cinema russo, foi padrão antes de começar a trabalhar como redatora pra ‘Elle’, onde trabalhou mais de uma década. Sem demora, retorna ao grupo editorial de teu início. Duncan Edward, presidente da Hearst Magazines, o grupo proprietário da’ Harper’s Bazaar’, e bem como de revistas como a ‘Marie Claire’, ‘Elle’ ou ‘Esquire’.

a partir de recursos próprios da poesia visual trabalha com idéias, “transforma realidades e estou buscando jogos conceituais”. Diminui os elementos “drasticamente ao primordial” e utiliza como muito “3 ou 4 cores”, sem linhas “degradados e ornamentos”. Esta catalã de 30 anos está se preparando pra alteração “em poucas semanas” para a Inglaterra, onde espera achar “outra cultura, pessoas e maneiras de trabalhar diferentes”. Tua obra selecionada, ‘A pequena Inuk’, é um livro ilustrado, escrito por Darabuc para o que descreveu com a consultoria do antropólogo especializado em cultura inuit Francesc Bailón. Relata a existência de Annakpok, uma criança que vive no Ártico e, de lado a lado dela, mostra uma cultura tão maravilhosa como desconhecida”.

O faz através de ilustrações “estilizadas” com que desenha protagonistas que “despertam uma certa ternura e suas paisagens sensatez” usando tons frios e imagens “cuidadas, a nível estilístico e também narrativo”. Se expressa por intermédio de composições equilibradas e harmônicas que pedem os projectos que se avizinham, acredita.

  • Trinta e seis Circo de estrelas (Chile)
  • 32 FELIZ 2013
  • vinte e quatro Pé de Foto de Lua Minguante
  • De dois a 17 de dezembro, sábado: 17:00 e domingo: 12:00
  • 3 Os 2 Plinios 6.3.1 Plínio, o Jovem
  • 1 Miss Universo
  • Lápis de lábios

Foi “localizado” a ilustração como linguagem, um tipo e técnicas que evoluem com ela. É considerado “muito ordenado” com uma metodologia que repete: analisa, investiga e documentada antes de publicar os primeiros rascunhos e depois cria os originais com “acrílico como técnica usual”.

Basta digitalizar o serviço e aproveita para fazer os últimos ajustes. Obra selecionada: ‘Into the water’. Fazer parte desta seleta tabela é “importantíssimo” pelo “embate de uma nomeação no concurso nacional”, agradece esta ilustradora de Lleida. Nascida em 1974, estudou Maravilhosas Artes e depois se formou em ilustração. Montou seu estudo, Alins Illustration, que trabalha junto com Juanjo Barco sempre que exerce a ilustração com tua faceta de artista plástica.