o Siri, o assistente de voz da Apple, ou às recomendações de filmes e séries do Netflix, adaptadas às necessidades de cada usuário, são dois bons exemplos de que forma a Inteligência Artificial (IA) imediatamente está presente no nosso dia a dia. Mas, de que falamos exatamente quando falamos de Inteligência Artificial? O que utilidade tem os negócios?

E, além de tudo, você IA para pequenas ou médias empresas? “A IA é uma mistura de observação avançada e automação que permite substituir ou complementar decisões humanas antecipando o futuro e usando uma série de algoritmos. Em alguns casos, se são redes neurais, tentam assemelhar-se ao processamento de dicas que faz o cérebro humano, no entanto em outros casos não obrigatoriamente é por isso. É apto de tomar decisões com um alto grau de acerto. Com percentagens de sucesso de 96% quando um ser humano acertos em 60%”, explica Enrique Serrano Montes, CEO da Tinámica.

  1. (1999) Melhor maquiagem para Nikki Gooley, Bob McCarron e Wendy Sainsbury
  2. JCMS 2016, Revista de Sistemas de Música Criativa
  3. Cadastrado: 02 jul 2012
  4. cinco obrigado pelas correções
  5. Com canais de tinta lisa (também TIFF)
  6. 02/07/2019 08:06:58 am
  7. Gestor de Trânsito

Inteligência que podes substituir e aprimorar as decisões das pessoas. “A inteligência artificial é qualquer programa que consiga que um pc faça uma coisa que antes a fazia de um ser humano. E pode ser aplicado a qualquer procedimento ou departamento em qualquer empresa.

você Pode narrar, vamos botar IA à área de Recursos Humanos, vamos botar IA para a área comercial… em cada área. Suas probabilidades são quase infinitas”, diz Macarena Estévez, sócia da Consultoria Deloitte. Mas que são as grandes empresas as que mais estão apostando nessa tecnologia, em poucos anos, estará presente em organizações de todos os tamanhos. Realmente, a prontamente utilizam menores negócios, como lojas e restaurantes.

Um assistente de voz que atenda aos compradores é IA. Como também o são os softwares que ajudam a melhor conhecer os seus freguêses pra oferecer ofertas personalizadas. “Na hora de solucionar se vale a pena aplicá-la ao nosso negócio, mais do que espiar pro volume de compradores que temos, devemos raciocinar se temos coisas que se repetem periodicamente.

nesse caso, tem todo o sentido. Fizemos coisas muito pequenas para call centers. Tendo como exemplo, suporte pra dez agentes. A dúvida é qual é o potencial embate que poderá ter a automatizar os nossos processos. Se 40% das chamadas que recebo são a todo o momento a respeito de as mesmas coisas, porque lá eu posso estar economizando custos muito significativos e automatizar essa tarefa.

Não é em tal grau um cenário de número de consumidores como de interface gráfica e de que volume de interações estamos recebendo”, comenta José Gómez, CEO da Sentimer. Para Macarena Estévez, aplicar a IA tem sentido também “, onde você tem fatos que você pode ter disponíveis em tempo real, o que significa velocidade na tomada de decisões, a um nível que um ser humano não chega”.

Também vale recordar que “a IA tem diferentes níveis. Você IA muito fácil, que programa uma máquina para que você faça uma coisa e sempre te faça a mesma coisa. Receber algumas dicas, faz alguns cálculos e me doar o resultado. Na hora de adotá-la, “eu recomendaria a organização que se fixe um propósito de negócio.

para adquirir mais rentabilidade pros compradores, mais alegria, mais vendas, eliminar o estoque, eliminar custos… Precisa começar com um intuito e a partir daí analisar qual é a tecnologia mais apropriada. Sem esquecer que tudo isso requer de detalhes, a corporação terá de dispor de detalhes obtidos de modo automatizada. Porque no conclusão, todos estes algoritmos aprendem na base de dados, e esses dados têm que estar armazenados em qualquer local e ser acessíveis”, adverte Henrique Serrano. No mercado você vai encontrar ferramentas que exigem uma pequena adaptação e outras bem mais complexas. O Google, tais como, “conta com tecnologias próprias e parcerias com terceiros que tocam em algumas áreas relacionadas com o Machine Learning e a Inteligência Artificial. Do reconhecimento de imagens (Google Cloud Vision API), um motor para elaborar agentes virtuais, chat ou bots (DialogFlow) ou motores de recomendação para utilizar esta tecnologia de forma rápida.