A mensagem de que “há que tomar muita fibra” é bem sabido por todo mundo que quer cuidar da dieta, bem pelo enxurrada de anúncios que fazem uso esse correto, ou devido às recomendações médicas. Neste significado, a indicação concreta que existe evidência de que suplementos de fibra do tipo solúvel poderá ampliar o número de deposições, a consistência das fezes e os sintomas daqueles que sofrem de prisão de ventre.

O consumo de fibra poderá ajudar também pela precaução do desenvolvimento de doenças metabólicas, como a obesidade e a diabetes. Verdadeiramente, a especialista da SEEN diz que o consumo de fibra, essencialmente proveniente de cereais integrais, seria “um fator protetor contra o desenvolvimento de transformações do metabolismo hidrocarbonado, como a diabetes”. Existem diferentes formas de classificar a fibra, porém a Dra Ballesteros explica suas características em atividade de tua competência de fermentação no cólon.

Este modo cumpre duas funções: preservar um estado adequado de células epiteliais do cólon e montar a flora bacteriana intestinal. Por um lado, existem as fibras parcialmente fermentáveis ou insolúveis e as fibras fermentáveis ou solúveis. A distribuição dos tipos de fibras nos alimentos não é exclusiva, ou melhor, como explica a especialista da SEEN, a maioria dos alimentos vegetais conseguem conter 2 tipos de fibra, bem que apresentem maioritariamente uma delas.

  • Schultz, J. H. O treinamento Autógeno. Editorial Científico-Médica, Barcelona 1969
  • Clay, J. H.: Massoterapia clínica básica, Lippincott
  • Frutas e legumes
  • All-American Sênior NHSCA (1997)
  • 4 bolachas salgadas
  • avaliação
  • Brócolis com salmão grelhado

Dentro do grupo das fibras insolúveis (parcialmente fermentáveis) ativos, aipo, brócolis, couve, escarola, alface, nabos, rabanetes e farelo de trigo. As fibras solúveis (fermentáveis) sobressaem aveia, cevada, amêndoas, avelãs, cebola, frutas, legumes e tomate. E enfim nos encontramos com aqueles vegetais que contêm ambos os tipos de fibras em quantidades idênticos, como é o caso de feijão, arroz, espargos, milho, pão, macarrão e cenoura.

As frutas com mais fibras seriam: azeitonas, damasco, abacate, ameixas, framboesas, morango, figo, kiwi, limão, maçã, marmelo, amora, laranja, contudo, banana, nozes e frutas secas. Os cereais com mais fibra seriam todos os integrais (trigo, arroz, aveia, centeio, etc.). As hortaliças e verduras com mais fibra são: alcachofra, aipo, brócolis, couves-de-Bruxelas, couve-flor, erva-adocicado, feijão verde, alho francês, pimento, cebola, nabo, beterraba, tubérculos e cenoura.

Os legumes com mais fibra são os feijões, grão-de-bico, as lentilhas, os gisantes e a soja. Os frutos como cerejas, mandarina, pêssego, melão, abacaxi, tangerina, melancia e uva. As hortaliças e verduras como acelga, chicória, agrião, cogumelo, escarola, espargos, espinafres, alface, berinjela, abobrinha, abóbora, pepino, pimentão e tomate. Por último, cabe salientar, como insiste Cristina Quico, que o consumo de fibras precisa ser acompanhado de uma ingestão bastante e adequada de água para que a fibra possa ter o seu efeito benéfico no trânsito intestinal.

“Se você consome muita fibra e não se toma uma ingestão de água adequada, podes existir constipação ou dificuldade pra evacuar”, avisa. A fibra necessita ser consumido, conforme explica a especialista, a SEEN, no âmbito de uma dieta equilibrada, preferencialmente de padrão mediterrâneo. Como direção, para calcular o consumo diário de fibra, a Dra Ballesteros propõe a seguinte frecuenca de consumo das principais referências de fibra.